gallery/mulher-dormindo 04
gallery/whatsapp

Durma mais e melhor higienizando com Rainbow­

A Importância do Sono

Dra. Regeane Trabulsi Cronfli

    

     É um total contra-senso o fato de que, num mundo em que cerca de 16 a 40% das pessoas em geral sofrem de insônia, haja aquelas que, iludidas pelos valores da sociedade industrial, esforçam-se por reduzir o número de horas de sono diário,. Com isso acreditam, provavelmente, que um corpo "treinado" para dormir menos nos permita ampliar o número de "horas úteis" do dia, mantendo o mesmo desempenho.

     Pura ilusão ou, mais provavelmente, uma boa dose de ignorância sobre a importância que o sono tem no funcionamento de nosso corpo e da nossa mente.

     Dormir não é apenas uma necessidade de descanso mental e físico: durante o sono ocorrem vários processos metabólicos que, se alterados,  podem afetar o equilíbrio de todo o organismo a curto, médio e, mesmo, a longo prazo. Estudos provam que quem dorme menos do que o necessário tem menor vigor físico, envelhece mais precocemente, está mais propenso a infecções, à obesidade, à hipertensão e ao diabetes .

     Alguns fatos comprovados por pesquisas podem nos dar uma idéia da importância que tem o sono no nosso desempenho físico e mental. Por exemplo, num estudo realizado pela Universidade de Stanford, EUA, indivíduos que não dormiam há 19 horas foram submetidos a testes de atenção. Constatou-se que eles cometeram mais erros do que pessoas com 0,8 g de álcool no sangue - quantidade equivalente a três doses de uísque. Igualmente, tomografias computadorizadas do cérebro de jovens privados de sono mostram redução do metabolismo nas regiões frontais (responsáveis pela capacidade de planejar e de executar tarefas) e no cerebelo (responsável pela coordenação motora). Esse processo leva a dificuldades na capacidade de acumular conhecimento e alterações do humor, comprometendo a criatividade, a atenção, a memória e o equilíbrio.

­

O sono e os hormônios

     A longo prazo, a privação do sono pode comprometer seriamente a saúde, uma vez que é durante o sono que são produzidos alguns hormônios que desempenham papéis vitais no funcionamento de nosso organismo. Por exemplo, o pico de produção do hormônio do crescimento (também conhecido como GH, de sua sigla em inglês, Growth Hormone) ocorre durante a primeira fase do sono profundo, aproximadamente meia hora após uma pessoa dormir.

­

O Sono Profundo...

     O sono tem diversos estágios, os profundos e reparadores das funções orgânicas e cognitivas que são os chamados delta e REM. A fase REM é caracterizada pelo movimento rápido dos olhos, pelo sonho, aumento da descarga elétrica no cérebro, atonia muscular, aumento da frequência cardio-respiratória, dentre outros... Uma pessoa comum passa por quatro ou cinco vezes pelo sono REM durante uma noite. Para chegar a esses estágios profundos, o sono deve ter qualidade e continuidade. O sujeito que acorda durante a noite ou dorme poucas horas durante a noite provavelmente passará pouco por estas fases importantes de recuperação.

     O sono REM é importante para a memória, experimentos com ratos, macacos e humanos tem demonstrado isso. Em humanos, por exemplo, crianças com deficiência mental tem menos sono REM, crianças super dotadas tem mais que a média, há pesquisas com aumento do sono REM em estudantes universitários americanos durante a época de provas e pessoas que lembram mais palavras e atividades quando passaram pela fase REM.

     Ratos que são levados a experimentos que forçam-os a ficarem acordados durante dias (privação de sono), comprovam que depois de suportarem 20 dias eles morrem e uma da causa mortis está relacionada a diminuição da resistência imunológica. Fizeram um experimento com 100 pessoas (adultos e jovens) e descobriram que 40% tinham problemas do sono. Fizeram com que estas pessoas dormissem uma hora a mais por dia. Logo, houve aumento no sono REM e os efeitos foram aumento no rendimento escolar, no humor, na atenção, na memória e diminuição nos acidentes de trabalho.

     As pesquisas experimentais com animais e seres humanos revelam que o álcool aumenta o ronco e dificulta o indivíduo a entrar em estágios do sono restauradores, como o REM, por exemplo. O uso freqüente e prolongado de Benzodiazepínicos (ansiolíticos) a longo prazo dificultam a memória e o aprendizado. É interessante salientar que o Clonazepan (Rivotril – nome comercial) que é um ansiolítico de tarja preta, de venda controlada, que é na maioria receitado para as pessoas dormirem é o segundo medicamento mais vendido no Brasil, sendo mais vendido que a aspirina.

     No entanto, para uma melhor performance e eficácia a Higiene do Sono é importante...

 

gallery/acaro ampliado